ACADEMIAS ATIVAS POLITICAMENTE
MÁXIMAS DA ORDEM DE PLATÃO

Mário Carabajal *

Os objetivos máximos da Academia de Letras do Brasil encontram nos títulos e diplomas de seus Membros, antes de solenidades e glórias como objetivos, a União da Classe Literária do Brasil e América do Sul.  Busca a coesão dinâmica e comprometida dos escritores a partir da União das Academias de Letras do Brasil e extensões internacionais, com fim a urgente promoção de redimensionamento e mesmo redirecionamento do curso histórico de corrupção, irresponsabilidades com o erário público e toda ordem de injustiça social vivida na América do Sul e mesmo no Mundo. Com retrocessos à ordem democrática de preocupantes projeções. Como o que vem sofrendo a imprensa argentina e venezuelana. Sobretudo, pela recente aprovação do Senado brasileiro, em 15 de dezembro, de inclusão da Venezuela no Mercosul. Isto, pelo regime neoditatorial de seu Presidente, que, pelo sistema alternado de direção do Mercosul, encontrar-se-á, àquele Presidente, por um período, também a frente das políticas dos países Membros, o que poderá ser desastroso para toda a Região. Mais grave ainda, as sucessivas investidas do Presidente do STF Gilmar Mendes contra a Ordem Democrática – Mais recentemente, em cabal manifestação de Censura no Brasil, onde seis de seus seguidores, Ministros do STF, como nos tempos do regime de exceção, votaram contra a liminar do jornal Estado de São Paulo, que clamava por liberdade de imprensa. O Estado de São Paulo encontra-se proibido judicialmente de cobrir a Operação Boi Barrica, onde Fernando Sarney (PMDB-AP), filho de José Sarney, então presidente do Senado, é o principal artífice em esquema de corrupção ativa no Brasil. Este senhor, Gilmar Mendes, para os menos avisados, fora, absurdamente, Presidente do Superior Tribunal Federal do Brasil. Quem, em passado próximo, expediu três mandados de soltura do banqueiro Daniel Dantas (cidadão comum, sem fórum privilegiado), obstruindo a Ordem Jurídico-Precedente e curso natural processual brasileiro, como se sua função historicamente passageira e efêmera, se lhe permitisse tomar para si a justiça de todo um país, sem qualquer responsabilidade ou implicação legal. Agredindo e pisando sobre a Constituição Federal em seu Artigo 5º. que afirma serem todos os cidadãos iguais perante a Lei, independentemente de quaisquer naturezas. Contudo, a natureza econômica, posição social e amizade com o senhor Gilmar Mendes, privilegiou Daniel Dantas. E por isso dizemos "absurdamente" este equivocado senhor ocupar função na justiça do Brasil. Imagine-se como presidente que fora do Superior Tribunal Federal. Gilmar Mendes, inclusive, ameaçou o juiz de primeira instância , da 6ª. Vara Federal de São Paulo, Fausto Martins De Sanctis, de solicitar punição contra o mesmo, junto ao Conselho Superior de Justiça. O juiz De Sanctis, somente o que fizera, fora autorizar a prisão de Daniel Dantas, Naji Nahas, Celso Pita e outros envolvidos em crimes contra o sistema financeiro brasileiro. Decisão esta sustentada em fartas documentações levantadas pela Polícia Federal.

A história civilizatória humana não tem fim e todos nós somos meio. Não pode a classe literária se fazer coadjuvante sob pressupostos telúricos de incidência histórica. Mas, como já o fez antes, em 1945, em pleno regime ditatorial, onde 500 escritores brasileiros, unidos em torno da Associação Brasileira de Escritores, sucessora da Sociedade dos Escritores Brasileiros, fundada em 1942 em São Paulo, foram os primeiros no Brasil a levantar a voz contra o regime de exceção, exigindo do governo ditatorial, o direito fundamental de liberdade de expressão.  São os escritores que assinam, em todos os momentos difíceis da história Mundial, o documento norteador de novas perspectivas, de luz à construção organizacional e estrutural civilizadora Humana. Exemplo maior, sempre atual em Platão, como as bases jusnaturalistas do direito natural, evoluindo ao positivismo e Revoluções Inglesa, seguida da Francesa, refletindo-se no Mundo, até os anos 2000. 

Mister a evolução do Sistema Judiciário Brasileiro. Não é possível que todo um país seja refém de homens inescrupulosos, sem real senso sequer de justiça, por uma simples função que, mesmo pública, rompe com esta assertiva “pública”, auto-outorgando-se-lhes, deliberada, desrespeitosa e impunemente, poderes supra-individuais, supra-judiciais e mesmo supra-constitucionais, como se o Brasil fosse o quintal fechado de suas narcísicas experiências. Um país sem eco, retorno ou quaisquer raciocínios e sensibilidade. Um Estado desprovido de todo patriotismo, coragem e determinação, em fazer-se desse país, um Brasil sem medo, estrelas ofuscadas e poderes equivocados. Hoje, alicerçado em homens pobres de ideais, confundindo as funções que ocupam como se superiores em relação as demais, tão necessárias e mesmo de maior essencialidade à vida, como os lixeiros. Extingue-se o STF, STJ, CSJ, e pouco ou quase nada repercutirá na vida da população. Contudo, se retirados os lixeiros das ruas, impossível ou inviável se tornaria a vida. No entanto, mesmo com inequívoca superioridade em essencialidade à vida, são os salários dos lixeiros centenas de vezes inferiores aos dos membros da "justiça". Ainda que a essencialidade dos lixeiros seja superior, contudo, por não serem eles próprios à criarem e deliberarem sobre as Leis, mesmo ocupando funções sem a qual não existiria vida, tem total desvantagem em relação àqueles. Que além de viverem em gabinetes, contam, em seus contra-cheques com auxílios econômicos de toda ordem, como se também suprahumanos fossem.  Este modelo e estrutura deve ser alterado. Ainda que o STF conte sempre com 3, as vezes dois e em alguns casos apenas 1 voto de assertivas à construção de um país verdadeiramente justo, este modelo necessita ser alterado. A Justiça Superior do Brasil, com o advento das novas tecnologias, já pode estender-se a um colegiado, formado por juízes, mestres e doutores em ciências Jurídicas, com participações de segmentos científicos históricos e parte de mestres e doutores também advindos da área de repercussão da decisão. Não é possível que alguns poucos homens, nove como no STF - que cursaram direito e alguma especialização à duas ou três décadas atrás, mantenham-se equivocadamente em funções como ocupa este senhor Gilmar Mendes. Compete aos pensadores, trazerem à luz novos modelos. Ainda que utópicos ao nosso tempo. Mas, à medida que evoluam as novas tecnologias, encontrem-se a disposição implementatória de homens com maior harmonia com o seu próprio tempo. Ousar é preciso. Acreditar, sempre. De fato, a corrupção dos dias atuais, é parte de um processo histórico. Este senhor, assim como os políticos envolvidos em formação de quadrilhas para o desvio de recursos da Nação, pisam, usurpam, dançam e sapateiam, até mesmo frente à câmeras, sem nenhuma ação efetiva da justiça. Logo, esta justiça é falsa e precisa sofrer intervenção, adequando-se a uma Nação que exige respeito. São estes falsos governantes e membros da "justiça" de fato, infelizes herdeiros de um ainda influente  império, onde o poder era absoluto e emanava do Imperador, sem apelações, reclamações ou confrontações. Onde os bens pessoais do Imperador confundiam-se com os bens públicos. Onde, o Imperador e os amigos do poder, tudo podiam.

Não têm estes homens verdadeira culpa. São peças históricas ultrapassadas. Cegos certamente, ludibriados pela tórpica ilusão econômica e material. Porém, sob a implacável inevitabilidade cinesio-rearranjacional de uma superpopulação em expansão, com grande parte crítica, comunicando-se com velocidade em Kilobits e Megabites por segundo, exigindo que as máximas da verdade, honestidade, igualdade, justiça, capacidade e cientificidade, sob princípios éticos, humanos e bioéticos universais, sem violência ou opressão, mas sob a máxima de "ordem" encontrem veículos sócio-distributivos, emergencialmente sistematizáveis, de aplicação, operacionalização e viabilidade real implementatória. Como por exemplo, por força das atuais tecnologias dos anos 2000, são totalmente viáveis as sociedades evoluírem às Assembléias Públicas Estaduais, Congresso Público Nacional, Câmaras Públicas de Vereadores, Câmara Pública Federal, onde os cidadãos participem diretamente das decisões, sem mediadores eleitos. Canais Administrativos de televisão ou computacionais próprios para cada município, com participação direta dos munícipes ao enfrentamento dos problemas e dasafios sócio-econômicos, agrários, humanos e de saúde. Da mesma forma para o Estado e País. O Presidente e Ministros necessitam estar conectados, pontos de imagem e som com todos os Estados e estes com as prefeituras de suas abrangências, com links em extensões em escolas, postos de saúdes e segmentos constitutivos da administração pública. As escolas e universidades, em resultados, voltam-se a contribuir concretamente, otimizando-se às ciências. Teses saem das prateleiras para ganharem implementação em linha de consecução pelas Administrações Públicas Científicas - APC. Isto, entre centenas de possibilidades ensejadas pelas novas tecnologias. À tomada de Decisões do Executivo, não admite-se mais a forma irresponsável e deliberada como o fazem. É necessário que os governos, em seus respectivos níveis, reunam e consultem "Grandes Conselhos Científicos - estes, formados por universidades, empresas e instituições de ciências", dos quais resultarão soluções em assertivas aos problemas sociais de seu âmbito de investigação. Se necessário, entrecruzando campos, ao estudo das implicações decisórias.

Mistes que nossos pensadores dediquem um mínimo de suas preciosas e sublimes mentes, a partir do existente, concreto e real. Ainda que evidenciando apenas elos futuros de ligações, auxiliando no ininterrupto processo evolutivo das estruturas e organizações administrativas sócio-governamentais. A imaginação deve ser liberta de amarras. Os sonhos devem ser sonhados, imaginados, esquematizados e apresentados à sociedade, sem quaisquer receios, conscientes dos ideais máximos de contribuir para com as gerações futuras. E, sempre que possível, canalizadas forças implementatórias. Aqueles que mais sonham no presente, oferecem às bases ao real das civilizações futuras. Ao contrário da pseudo assertiva de ser o pensamento abstrato, é isto sim, aquilo que de mais concreto o homem possui. Nenhuma mudança social ou criação humana, da alavanca à era digital, foi processada sem antes se fazer pensamento. O sonho. O bom sonho, salvará o Mundo. O mundo necessita de sonhadores e idealistas, sem os quais, estaria fadado a involução, caus e completa destruição.

A ALB é uma entidade cultural politicamente ativa. A primeira academia Mundial da ORDEM DE PLATÃO, para o qual, a solução dos desafios sociais e dentre eles a corrupção, antes de se alijar convidados, isto sim, faz-se necessário que os pensadores se detenham em imaginar máquinas politicamente adequadas à natural evolução e crescimento da complexa densidade demográfica humana. Novas formas de relação, distribuição e geração das riquezas devem ser criadas e difundidas. Bem como, o redimensionamento dos mercados financeiros e ideológicos, focando-se no bem viver humano e relações sociais, harmonizando-se com a natureza e demais espécies animais. Por fim, decisões público-administrativas assertivas, apoiadas em pressupostos científicos, sempre abertos à inferências evolutivas. PLATÃO orienta para que se promovam constantes atualizações da máquina estatal, técnica e política. Eis o axiôma da Ordem de Platão incorporado pela Academia de Letras do Brasil.

Do ontem e do hoje, resta-nos o amanhã. 

*Extrato Memorial. Mário Carabajal - Mário Roberto Carabajal Lopes. Bagé, RS. 04mai58. Filho de Olegário Robaina Lopes (telefrafista/VFF e jornalista) e Manuela Cacilda Carabajal Lopes (Auxiliar de enfermagem, professora e escritora). Mérito "Cidadão Rorainopolitano - RR". Ens. Médio: Magistério, Trans. Imobiliárias e Contabilidade. Professor Federal. Jornalista. Licenciado em Educação Física. Especialista em pesquisa científica (UFRR). Especialista em psicossomatologia (ESPC). Estudos de especialização em Tecnologia Educacional (UnB). Especialista, mestre e doutor em psicanálise (ESPC).Doutor em Psiconeurofisiologia (ESPC). Estudos de especialização em Controle da Gestão Pública (UFSC). Mestre em Relações Internacionais (UAA). Estudos de Mestrado em Direito Internacional (UAA). Pós-doutor em Filosofia da Religião. Em janeiro de 2010 concluiu doutorado em Ciências Educacionais (UAA) - tese em Psicopedagogia - com defesa prevista para janeiro de 2011. Em 2012 projeta estudos de Pós-doutorado em Bioquímica, na Universidade de Oxford - England. Ex-consultor do Ministério da Educação; Ministério Extraordinário dos Esportes; Departamento de Doenças Crônico-degenerativas do Ministério da Saúde; Departamento de Motricidade Humana da UNICAMP; Assessor de Gabinete do Governo e da Secretária de Educação - Roraima (2001/2003). Professor de graduação e pós-graduação (Gama Filho; Faceten; FPBV). Professor e orientador de mestrado e doutorado (CFSia). Trinta livros publicados, dentre os quais: Estado de Espírito / Cosmobiopsicosociocinesiologia / Romance Através dos Tempos / Estágios Psicomaturacionais da Consciência Humana / Dicionário de Psicanálise Clínica / Resumo de Projetos Políticos / Diagnóstico Preliminar em Psicopedagogia / Técnica e Prática da Psicanálise Clínica / Principais Causas da Fome no Mundo Contemporâneo / Divergências Diagnóstico-terminolócas em Psicopedagogia. Inúmeras publicações em jornais e revistas. Membro Fundador da Academia Mundial de Direito Internacional. Membro fundador da Academia Mundial de Relações Internacionais. Presidente Fundador da Academia de Letras do Brasil. Presidente Pró-tempore do Conalb - Conselho Nacional das Academias de Letras do Brasil. Crítico Literário (CBLP - MG). Mérito Literário 2009 (InBrasCI - RJ). Comenda Martinho Lutero 2009 (ESCTB). Márito Literário 2010 (ALB/RJ). Conta com o sonho e ideal de contribuir ao fim da Fome no Mundo. Ainda, junto ao Parlamento do Mercosul, colaborar ao embasamento às instalações das Políticas Públicas de Administrações Científicas nos Estados Membros.