ACADEMIA DE LETRAS DO BRASIL

 

Se eu fosse a Lua...
Vânia Moreira Diniz*


Se eu fosse a lua dançaria no espaço

Iluminando as casas pequeninas e sem abrigo,

Esquentaria as pessoas que estivessem com frio,

Transmitiria um pouco de esperança em seu retiro.

 

Se eu fosse a lua desceria bem mais abaixo,

Para ser testemunha do amor e seu intenso segredo,

Compartilharia da própria conhecida fascinação,

E levaria para os que sofrem meu doce conforto.

 

Se eu fosse a lua não deixaria ninguém me esperando,

Pela felicidade transmitida em frenético murmúrio,

Conduziria com minha luz a paz daquele momento,

Ensinando aos mais tímidos a expressão do sentimento.

 

Se eu fosse a lua seria capaz de proibir a escuridão,

Em todas as suas formas de trevas ou simbolismos,

Teria o poder de transformar lágrimas em sorrisos,

E depois aqueceria aquele frio e sofrido coração.

 

Se eu fosse a lua pratearia de suavidade o universo,

Derramaria a claridade em diversos e variados caminhos,

Deixando que feixes de luz se projetassem em seu colorido,

E receberia da natureza o reflexo extasiante e poderoso.

 

Se eu fosse a lua expulsaria do mundo qualquer rancor,

Seria parceira dos encontros ardentes e apaixonados,

Agindo como constante e extraordinário afrodisíaco

E transformando tudo num paraíso de amor.

Se eu fosse a lua...

 

*Vânia Moreira Diniz é presidente da ALB/Brasília.